Também conhecido como manual de identidade visual, o manual de marca é o documento em que os profissionais de design definem diretrizes e normas específicas para a utilização da marca.

Essas regras técnicas servem para garantir a aplicação correta dos elementos gráficos, como logotipo, layout,tipografia e cores, englobando, também, missão, visão, valores e as características da marca.

Além das recomendações para aplicação dos logotipos em peças publicitárias, o manual define aspectos como uniformes, fachadas e panfletos. A ideia é que todas as representações visuais tenham um padrão.

As sugestões abrangem diversos aspectos, podendo ser mais ou menos complexas, dependendo do tipo de estabelecimento. O objetivo é facilitar a propagação correta, a memorização e a identificação da empresa.

Por que é tão importante ter um manual de marca?

Para construir a reputação da empresa e agregar valor aos produtos e serviços, é preciso facilitar o reconhecimento da marca pelo público, para gerar identificação rápida ou até mesmo imediata.

Ter uma manual de marca aumenta a credibilidade da empresa.

A uniformidade das informações e das identidades visuais ajuda a transmitir qualidade e segurança, atingindo o público-alvo com mais facilidade.

Esse conjunto de diretrizes também economiza tempo e ajuda a evitar gastos com materiais contendo algum tipo de erro ou com ações mal elaboradas, que precisariam sofrer ajustes ou substituições.

A padronização exigida pelo manual de marca faz com que o profissional ou agência responsável pela criação de material tenha todas as informações necessárias para executar as tarefas corretamente, sem ter que recorrer a outra pessoa para tirar dúvidas, agilizando o processo.

A adequação da marca em cada situação é muito importante. Assim, será garantida sempre a melhor apresentação do seu material. Um padrão visual consistente transmite credibilidade e profissionalismo.

Mas quais os pontos essenciais do manual de marca? Por onde começar?

Essas dúvidas são comuns em um primeiro momento e, por isso, separamos algumas dicas a seguir.

Como fazer meu manual de marca?

Cada manual tem suas especificações. Alguns podem focar mais nas combinações de cores e fundos, enquanto outros são mais detalhados quanto ao formato da peça. Porém, algumas características são indispensáveis.

A capa e o índice devem anteceder as diretrizes para facilitar a localização de cada uma delas dentro do manual. Confira agora o que não pode faltar dentro do manual de marca:

  1. Identificação

São dados importantes da empresa: site, e-mail, telefone, nome do proprietário e dos diretores, o contato do responsável por cada área e agência que está gerindo o projeto.

Geralmente, o manual de marca possui uma ou duas páginas com as principais informações resumidas. Esse resumo pode ser feito com o tempo, pois é na prática que você vai ver quais as informações necessárias para todos os projetos.

  1. Introdução e conceito

A introdução é o briefing da empresa, ou seja, são indicados os valores, visão estratégica, apresentação do objetivo da marca e o histórico da empresa.

A descrição da marca explica a lógica dos elementos : por que o logotipo é assim? Como foi criado o símbolo da empresa?

O conceito da marca deve ser sempre protegido e defendido nas peças publicitárias. É importante que todos os profissionais que trabalham na empresa saibam falam da marca.

Afinal, a propaganda é alma do negócio, não é mesmo?

  1. Assinatura da marca

Aqui são apresentados os fundamentos do processo criativo, além da identidade visual. A assinatura se divide em alguns aspectos:

  • Tipografia: diz respeito às fontes principais e às auxiliares, que não devem, em hipótese alguma, serem trocadas durante uma campanha, pois isso comprometeria a coerência visual do material;
  • Versão da marca: é comum que os designers prevejam a adequação da marca em diversos espaços;

A logomarca do Instagram, por exemplo, possui um tamanho diferente da que deve aparecer no Facebook e, essa proporção deve estar descrita nessa parte do manual;

  • Cores institucionais: as cores escolhidas para representar a instituição também não devem ser alteradas. Uma paleta de cores permite aplicações uniformes em diferentes ocasiões, ajudando na identificação da marca;
  • Aplicações em fundos: essa previsão é importantíssima para que não ocorra perda de identidade da empresa. Deve constar como fica a logomarca em fundos coloridos e sobreposta a outras imagens;
  • Elementos extras: s elementos adicionais também devem estar presentes do manual de marca. Entre eles, os mais comuns são texturase elementos sensoriais.
  1. Malha construtiva e redução mínima

A malha mede a proporção entre os elementos e a geometria da marca, enquanto a redução mínima é a menor medida que a logo pode ser usada e, ainda assim, continuar legível.

As dimensões precisam ser respeitadas para que a logomarca tenha, sempre , a mesma proporcionalidade e não sofra nenhuma distorção, independente do material utilizado.

  1. Aplicações da marca

Existem inúmeras aplicações para marcas e cada empresa deve adequar ao seu mercado para decidir quais os produtos serão personalizados com a logomarca.

As aplicações englobam aplicações em uniformes, carros, sacolas e produtos de papelaria. Os mais comuns são cartões de visitas, envelope, adesivo, papel timbrado, brindes e impressão de documentos.

Todas as informações de aplicação de identidade visual devem estar presentes, facilitando e agilizando o processo de produção. Além disso, é necessária para garantir a uniformidade visual da marca.

Alguns dados são essenciais para a produção correta das peças: tipo de material, alinhamentos, dimensões, margens, fontes e formatos. Todas as peças devem seguir à risca as orientações.

  1. Proibições

É muito importante mostrar quais alterações ou intervenções não podem ser feitas. Nessa parte do manual de marca é interessante demonstrar visualmente algumas situações em que a aplicação da marca deve ser evitada.

Por exemplo, esticar , mudar cores e tons , não usar as proporções adequadas e diminuir ou aumentar distâncias entre elementos estão entre os erros mais comuns.

Os profissionais responsáveis pela aplicação da identidade visual da marca precisam ver com total clareza quais os tipos de inserções que estão corretos e quais são as que não podem ser utilizadas.

Agora que você já sabe como deve ser feito um manual de marca , comece logo a fazer o seu! Nós da expresse! fazemos manuais de marca para empresas. Entre em contato com a gente e veja o quanto esse planejamento das informações vai fazer sua marca se destacar.